Ontem ligámos para a linha SOS Sogra

Ontem ligámos para a linha SOS Sogra

Os nossos dias têm sido: muda a fralda, que agora normalmente está cheia atá às costas (Meu Deus, o que a miúda caga. Caga, não. Porque, aprendi eu, os bebés não cagam. Evacuam.), a mãe dá de mamar durante meia hora, eu coloco a arrotar. A miúda descansa, vá, 20 minutos, chora que nem uma desalmada durante 40, e… evacua novamente. Mudo a fralda, a mãe dá de mamar, eu ponho a arrotar, ela adormece mais um bocadinho… e assim sucessivamente durante as 24 horas.

“TEMOS UM MONTE DE CHUPETAS ESPALHADAS PELA CASA À ESPERA DE SEREM ESTERILIZADAS, E TODOS OS TAPETES E SOFÁS DESTA CASA JÁ FORAM BAPTIZADOS PELO BOLSAR DA MENINA”

Comemos qualquer coisa, à vez, quando dá; dormimos quando os nossos olhos já não aguentam a exaustão, e tomamos banho como gatos.  Tempo para arrumação é nenhum. A bancada da loiça está à pinha, temos um arsenal de chuchas espalhadas pela casa à espera de serem esterilizadas, e todos os tapetes e sofás desta casa já foram baptizados pelo bolsar da menina.

Ontem, eu e a M. chegámos ao limite. Não dá mais. Estamos sozinhos em Lisboa (as nossas famílias estão a mais de 300 quilómetros) e a bebé absorve 99,5% do nosso tempo, como já puderam perceber.

Decidi sugerir a M. ligar para o SOS Sogra. Precisamos do amparo de uma das mães. Já sabemos que vem a dela, e já está prevenida com o que se está a passar.  Prometeu-nos vir carregada com um arsenal de socorro anti-cólicas: Aero-OM e Biogaia. Um vem carregadinho de açuçar, o outro é mais light mas também não tem boa reputação para recém-nascidos.

Isto vai contra tudo aquilo que aprendemos no curso, e contra aquilo que nos foram aconselhando, mas, como diria a minha avó, “pimenta no cú dos outros, para nós é refresco”. Esses enferemeiros sabichões que dão cursos que venham tomar conta da minha filha durante 24 horas para verem se conseguem. Eu tenho para mim que os profissionais da da área de recém-nascidos são apologistas do lema “olhem para o que eu digo, e não para o que eu faço”, pois também devem falhar  tanto (nestas situações) como nós pais, leigos.

P.S: Se alguém conhecer alguma empregada na zona de Lisboa com boas referências, que faça as tarefas domésticas, e ainda tenha talento para tomar conta de recém-nascidos, que diga alguma coisa. Por favoooooooorrrr!


ohomemdecaxemira

Follow:
Share:

2 Comments

  1. Débora Tinoco Ribeiro
    March 24, 2017 / 9:11 am

    Olá!!

    Força! Os primeiros dias são mesmo assim. Parece que fomos atingidos por um autocarro, mas vai melhorar 😉

    Gostava de vos sugerir o babywearing. É ótimo para sossegar “hi maintenance babies” como a vossa. Vejam no FB o grupo babywearing Portugal, a loja leva-me contigo em Oeiras ou a organii no Príncipe Real. Vão ver que não se arrependem!! Boa sorte!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *