Toda a verdade sobre o lugar dos homens na cama depois de serem pais.

5
4404

Já não escrevia há três dias porque as coisas aqui por casa andam um pouco para o complicadas. A princesa cá de casa absorve cada vez mais tempo, e as tarefas domésticas aumentam a cada dia que passa. Hoje escrevo sobre um assunto que me parecia anedota até… eu estar a passar por ele. Toda a verdade sobre o lugar dos homens na cama depois de serem pais. Eu estou reduzido a um pequeno espaço, e é com sorte.

Pub

Homens, nós perdemos realmente espaço na nossa própria cama quando passamos a ser pais. E, pelo que vejo, não vale muito a pena insistir que as coisas aconteçam ao contrário, porque isso não vai acontecer. A M. veio com falinhas mansas, com frases todas delicodoces, e quando dei por mim já estava enterrado até à cabeça.

Homens, tenham atenção ao plano de ação, e tentem reagir o mais cedo possível, senão acabam como eu, e, acredito, 80% dos homens (e, se calhar, estou a ser optimista).

Aqui, o quarto da princesa ficou pronto um mês antes de ela nascer. Ouvia eu que tinha de estar tudo pronto para que quando a herdeira chegasse tivesse tudo nos conformes para ser sentir confortável. Não faltava nada. E até testámos o intercomunicador várias vezes para termos a garantia que não havia falhas. E eu pensei: porreiro, está tudo pronto, e tudo vai correr dentro da normalidade.

Pouco tempo antes de ir para a Maternidade surgiu a conversa Next To Me (que é basicamente um berço que dá para abrir e juntar à cama). Ah e tal, a menina no quarto dela fica muito longe, e o trabalhão que é levantar várias vezes à noite para ir ter com ela vai ser prejudicial para nós, disse-me a M.  com aquele ar malandreco. Maaau, ah e tal, não (!), pensei eu. Tanto trabalho a preparar o quarto, para agora acontecer isto. Mas pronto, vá lá, pelo bem do cafuné entre os dois e do quentinho permanente durante a noite, que viesse lá esse tal de Next To Me.

Next to me

Entretanto, a bebé nasceu, saltou a casa de partida [leia-se o quarto dela], e foi logo direta ao Next To Me. Ainda sobre o quarto há a dizer que tem tudo mas a bebé só passa por lá quando a mãe tem alguma coisa para ir buscar. Nem o muda fraldas ainda se usou. O centro de ação tem sido a nossa cama.

“[A M. sugeriu que] o melhor seria a bebé ir de quando em vez para a nossa cama. Como também já estava a dar em doido com tanta choradeira, resolvi aceitar. Errrrrrooooo fulcral!!!”

Ao final de quatro noites o discurso voltou a mudar. Como a bebé chora muito ( as pessoas que me têm lido, sabem que si), o melhor seria a bebé ir de quando em vez para a nossa cama. Como também já estava a dar em doido com tanta choradeira, resolvi aceitar. Errrrrrooooo fulcral!!!! Homens, não deixem chegar a este patamar, porque o que vem a seguir não é nada bom. A bebé que se desenrasque, que chore sozinha e durante o tempo que quiser, porque no final de tudo ela vai ter direito ao seu cantinho, e o choro há-de passar. Já nós, se cedermos ao facilitismo, vamos passar a ter apenas direito a um espaço reduzido. Acreditem, coloquem como regra a não passagem do bebé para a cama. Senão, vão acabar num esquema semelhante ao cá de casa :

Quarto

Nem quarto, nem Next To Me. Todo o investimento que fizemos de nada valem. A bebé dorme neste momento no meio da cama. Porque a desculpa, ou melhor, a estocada final, vem mascarada com o argumento de “ah, durante a noite é perigoso”, e “a bebé pode por algum motivo vair, ou aleijar-se contra o Next To Me, e no meio de nós dois sempre está mais segura”.

E é isto, meus amigos. A bebé a quem era destinado apenas um quarto, é praticamente proprietária de duas divisões cá em casa. É esta a dura realidade. Quanto a mim, tenho dinheiro fora da carteira, e apenas direito a menos de um terço da minha cama…  Os cafunés e o quentinho que eram o bem ficaram esquecidos lá muito longe. Volto a ver a M. daqui a uns meses… se tiver sorte.


ohomemdecaxemira

5 COMMENTS

  1. Olá Carlos Sobral. Respondendo à questão que me parece mais pertinente. Sim, eu gosto de ser pai. Eu queria muito ser pai.

    Tudo o resto são perguntas que revelam desconhecimento sobre a minha pessoa. Aquilo que faço é relatar emoções e experiencia na gravidez. E o primeiro mes não é nada fácil. Altera por completo a vida de um casal. Quando pensei em ser pai, sabia que ia ser assim. Mas uma coisa é saber, outra coisa é viver.

    Já agora, você Já foi pai?

  2. Confirmo tudo o que escreveste (se é que posso tratar-te por tu, odeio formalismos). Mas na noite passada ele pergunta se põe o bebé na cama dele ou na nossa. Disse na dele. Quando fui deitar estava o bebé no meio .

LEAVE A REPLY